4 de junho: Dia Internacional das Crianças Vítimas de Agressão

As crianças são muito sensíveis aos traumas de agressões, que soam em suas almas como algo estridente, pelo fato de estarem em formação. São passíveis de sofrerem coerção sem reagir porque sua maturidade cognitiva não consegue entender a dimensão dos fatos negativos que lhes está acontecendo. Quando a agressão é visível ou mesmo velada, dependendo da criança, naturalmente acontece a reação mais comum: o choro. Caso o choro seja suprimido, então sobrevém outras formas da mente tentar equilibrar.

Podem surgir problemas respiratórios como asma, alergias alimentares, rinite, pneumonia, etc. A nível mental, a criança tende a ficar mais medrosa, triste, desconfiada com os demais adultos, introspectiva, não querendo relacionar-se,  brincar, comer, além de começar a ter pesadelos e bruxismo pela tensão emocional.

Existem as agressões físicas, as agressões mentais e emocionais. Normalmente, ambas acontecem concomitantemente, em casa com os pais, avós, irmãos, cuidadores e parentes em geral. Na escola, com vizinhos e conhecidos, os fatos podem acontecer a qualquer momento. Nesses casos, o mais importante a ser observado seria a mudança do comportamento porque a criança expressa mais facilmente o que sente. O conflito por não entender a coexistência de ações tão extremadas realizadas por alguém que supostamente a amaria é que vai gerando inúmeras desarmonias.

Mas se não houve a abordagem e o tratamento do problema em época adequada, se não houve a resolução pelo menos em parte, a memória tende a continuar, permanecer indelével, fixa e normalmente inalterada durante décadas no inconsciente. Mesmo não sendo acessada de forma voluntária, ela continua deixando seus rastros no espiritual, mental e emocional ao longo da vida da pessoa.

Toda vez que uma situação atual, cujo padrão é semelhante ao padrão vivenciado na infância, é identificada pelo cérebro são geradas determinadas reações de neurotransmissores que dificultam o raciocínio e a tomada de decisões naquele momento.

Isso gera insegurança, medo, ansiedade, depressão, estresse, dificuldades de relacionamentos, de superações na resolução de problemas, desde os mais simples aos mais complexos. Os acontecimentos do dia a dia passam a se tornar uma grande tortura mental, o que pode levar ao suicídio de forma mais imediata ou programado, pelo uso de drogas, álcool e hábitos sabidamente nocivos que são mantidos conscientemente.

A Homeopatia possui recursos inimagináveis para atender aos mais variados tipos de problemas de agressão que estejam se manifestando ou já se materializando em qualquer nível, mas, principalmente, no inconsciente da pessoa. Faz um trabalho muito profundo trazendo à tona o problema de forma simples ou mais complexa, dependendo de cada um e do grau de comprometimento que as agressões causaram a médio ou longo prazo. O mais importante é sabermos e termos total confiança de que a questão terá uma abordagem diferenciada e não meramente posta em um patamar onde esteja simplesmente disfarçada ou interiorizada.

Quanto mais estiver submerso no inconsciente, mais difícil será de trazer à luz da memória, porém, a homeopatia trabalha com as informações de forma bem específica. Durante o tratamento, as memórias irão sendo acessadas gradativamente, por hierarquias preestabelecidas, ditadas somente por aquele indivíduo. O que ainda não estiver em condições de ser tocado não será revelado  de imediato e sim progressivamente, cada memória em seu tempo único.

Sendo assim, o tratamento poderá ser mais rápido ou mais longo, porém os resultados sempre serão determinantes, pois a homeopatia irá atuar detectando e harmonizando os transtornos desde o princípio quando iniciaram as exatas causas desencadeantes.

Algumas homeopatias de uso geral para as crianças nesse condição:

obs: durante  o período de tratamento com as homeopatias na dinamização ch5: havendo crescente bem estar, dê sequencia a essa indicação, com os mesmos remédios, porém na dinamização CH6:

Agressões físicas – Arnica CH5 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

Agressões emocionais – Ornithogalum umb. CH5 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

Agressões mentais – Verbena off. CH5 – 2 gotas em um gole de á
gua, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

Agressões por pensamentos ou tentativa de aborto na gravidez – Sabina CH5 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

Agressões Sexuais – Sepia CH5 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

Agressões morais – Lycopodium CH5 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia, por 15 dias.

obs: essa indicação não substitui o acompanhamento de um terapeuta homeopata. Ao contrário, é apenas a abertura para o início de um tratamento completo, que requer o olhar apurado de um profissional qualificado.

Prof. Eliete MM Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *