27 de maio: dia do serviço de saúde

Os serviços de saúde no Brasil estão muito comprometidos por causa de muitas questões sociais, políticas e econômicas desde longa data. Mas é justamente por ter chegado a esta situação calamitosa é que está sendo obrigada a mudar o seu direcionamento, a política de prevenção em saúde. Felizmente, é o que já estamos presenciando de uns 10 anos para cá e 2018 é um ano de boas conquistas no setor.

Investir em prevenção é a melhor decisão a curto, médio e longo prazo para qualquer governo, pois os benefícios para os cofres públicos é sem tamanho. As pessoas adoecendo menos, deixam de usar tantos serviços caros ofertados, como os medicamentos, internações e exames, faltas ao trabalho e aposentadoria precoce por invalidez.

Com a crescente tomada de consciência mundial pela luta e preservação das terapias ancestrais estimulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, vemos o Ministério da Saúde implementar mais 10 terapias ancestrais no rol do SUS, perfazendo agora a soma de 29 práticas naturais.

As pessoas devem saber que possuem direito a estes atendimentos que fazem parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde (PNPIC) e procurá-los nas unidades de saúde mais próximas de sua casa. Veja aqui sobre a Portaria 971, do dia 3 de maio de 2006, do Ministério da Saúde, que aprova a PNPIC.

Quando uma parcela maior da população estiver fazendo uso das terapias, teremos um grande salto na qualidade de vida e, consequentemente, todos os setores da sociedade serão beneficiados. Diminuirá a criminalidade e aumentará a solidariedade, que é comportamento típico de populações harmonizadas. Além dos descendentes poderem ser gerados mais saudáveis mental, emocional e fisicamente, todos os ecossistemas se beneficiarão porque serão respeitados e preservados em suas individualidades.

Prof. Eliete MM Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *