26 de abril: dia de prevenção e combate à hipertensão

A hipertensão é um problema que cresce de forma assustadora no mundo todo e também no Brasil. Os dados são alarmantes. Em 40 anos, o número de hipertensos no mundo duplicou. São mais de 1 bilhão de doentes. No Brasil, de acordo com o estudo Vigitel, do Ministério da Saúde (MS), o diagnóstico de hipertensão arterial aumentou 14,2% nos últimos 10 anos, principalmente entre mulheres.

O cuidado preventivo deve ser sempre priorizado porque somente o controle do problema sem, contudo, pesquisar e tratar a causa, não é suficiente. Como a origem é desconhecida, a desarmonia continua avançando e materializando outros problemas que se tornam mais internalizados no organismo.

Para o tratamento da hipertensão no sistema homeopático é considerado o ser como um todo na sua história hereditária, na sua essência, sua história de vida, suas conquistas, amores, dores, sofrimentos, traumas, expectativas, etc.

O nome por si fala: hipertensão. Ou seja, uma tensão emocional e mental extrema que leva o sistema circulatório a se ressentir como órgão de choque, neste caso.

As características que geram o aumento da pressão devem ser investigados pelo homeopata criterioso e observador.

Por que tanta tensão sente o paciente? Quando sente, como sente e desde quando sofre dessa desarmonia são questões fundamentais a serem investigadas. E também:

Qual situação o paciente considera insolúvel na sua vida?
Qual é, na visão dele, a forma mais simples de resolvê-la ou de conviver com ela até que a solução mais efetiva seja encontrada?

Assim, por meio dessas reflexões, a pessoa irá, juntamente com o tratamento homeopático, fazer uma reorganização tanto mental, emocional e física em sua vida. Todos merecemos a paz, o sucesso e a harmonia interior e com o meio em que vivemos.

Professora Eliete MM Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *