15 de abril: dia nacional da conservação do solo

O solo é ser vivo com toda uma estrutura energética complexa. É muito pouco efetivo somente tratá-lo de forma isolada com produtos tóxicos que, a princípio, levam à reações aparentemente positivas incrementando a produção. A ação das substâncias agrícolas funcionam de forma semelhante aos seres vivos em geral, porém, depois de um período, individualizado para cada área, começa a haver a dificuldade de recuperação e o aumento gradativo dos fertilizantes torna-se necessário. Chamamos a isso de “patogenesia” em Homeopatia.

Exatamente como acontece conosco acontece com o solo. É algo que em 1985 já havia observado ao iniciar minhas pesquisas para o meio ambiente, incluindo os solos. Assim como qualquer sistema vivo, a energia vital como um todo deve ser recuperada para que a produtividade volte a níveis ótimos.

O solo responde às leis naturais de adoecimento e harmonização, por isso o cuidado em seu tratamento deve ser como fazemos normalmente com seres humanos, animais e  plantas. Devemos respeitar o quanto tem de deficiências, excessos e a individualidade da área, as agressões sofridas durante o período de cultivo, se existem áreas contaminantes na região, a água, chuvas, desgaste do solo, etc.

Precisamos ajudar nossos agricultores repassando outras formas de reequilíbrio do solo para que a produção seja mais saudável e os próprios envolvidos também se mantenham com saúde. Estamos em uma época onde não é mais possível aceitar a não existência e a não consciência de outros métodos mais efetivos e eficientes para o setor da agricultura que grita por mudanças.

Sejamos, enquanto Homeopatas, agentes dessa mudança, pois cuidarmos apenas dos adoecimentos derivados da intoxicação do solo e da alimentação não é focar no ponto original. A ponta do “iceberg” é pequena, por isso, urge alcançar a dimensão interna do mesmo, que é o tratamento do solo de forma integral e, consequentemente, toda a cadeia ambiental se beneficiaria.

Existe a comprovação científica em laboratório da ação da Homeopatia no solo e nossos alunos diariamente estão proporcionando estes benefícios para o meio ambiente. Tanto que  o Ministério da Agricultura (Diário Oficial do Brasil, 19/05/1999) aprovou o uso da homeopatia na produção orgânica (vegetal e animal). Em 2003,  também a UNESCO e a Fundação Banco do Brasil certificaram a homeopatia na agricultura como Tecnologia Social (veja cidadania-e.com.br, Banco de Tecnologias Sociais).

Façamos a diferença, ajudemos nosso solo sagrado, que está doente, a se curar.

Professora Eliete MM Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *