02 de abril – Dia Mundial da Conscinetização do Autismo

Saiba como tratar o autismo com homeopatia

O Center of Deseases Control and Prevention (CDC), órgão ligado ao Governo Americano, revela um aumento no número de casos de autismo em todo mundo: A cada 100 crianças, uma nasce com o “Transtorno do Espectro Autista” (TEA). No Brasil, existem cerca de dois milhões de autistas.

A Associação Brasileira de Autismo define o “Transtorno do Espectro Autista” sempre por desvios qualitativos na comunicação, na interação social e no uso da imaginação. “A tríade é responsável por um padrão de comportamento restrito e repetitivo, mas com condições de inteligência que podem variar do retardo mental a níveis acima da média”.

Em homeopatia, pesquisamos, estudamos e tratamos o autismo como uma desarmonia de origens múltiplas. Não é apenas esta ou aquela causa, é o conjunto, principalmente, levando em consideração o histórico familiar. E se formos tratar desta forma, que é a que produz resultados mais eficazes, não há como reequilibrar padrões hereditários com dinamizações altas no tratamento.

Observamos, nesse padrão, o fracasso e o agravamento negativo do caso, pois somente quem não conhece a homeopatia de Hahnemann se aventura em seguir nessa linha de tratamento.
Não existe a menor possibilidade em drenar e limpar de maneira significativa e eficiente as memórias de intoxicações passadas gravadas no DNA se não for começando por Decimais ou nas dinamizações CH5 ou Ch6, subindo gradativamente. Somente assim, as várias camadas irão se revelando, cada uma no seu espaço-tempo, com suas memórias genéticas específicas para que as translocações sejam trabalhadas, realocadas e novamente transcritas.
Citogeneticamente, a pessoa pode ser aparentemente normal, mas, em homeopatia, trabalhamos em níveis acima da matéria que se interagem o tempo todo e mesmo assim não são visíveis, por isso, a importância da repetição do estímulo com a memória correta e de forma contínua.

Trabalhamos com saltos quânticos, mas a CH 12, 30, 200 em início de tratamento, por exemplo, por serem muito altas, acabam não promovendo essa reorganização necessária e gradual e muitas pessoas abandonam o tratamento por não sentirem as melhoras esperadas. Vejo isso todos os dias e meus alunos também comprovam diariamente, na prática.
A homeopatia transforma positivamente, desde que respeitadas suas leis e regras. Aqueles que insistem em não segui-las continuam prestando um desserviço a esta nobre ciência simplesmente porque não seguem, principalmente, as instruções básicas de Hahnemann nos seus escritos em “Organom, a arte de curar”.

independentemente do espectro do Autismo com seus diferentes níveis de funcionamento e transtornos tais como: Perturbação Semântica-Pragmática, Perturbação do Espectro do Autismo (ASD), Autismo Clássico, Síndrome de Asperger, Autismo Atípico, Autismo de Alto Nível Funcional, a homeopatia sempre surtirá algum efeito. Sempre poderemos observar melhoras em cada caso particular desde que o tratamento esteja correto para aquele indivíduo em específico, atingido sua causa primária.

Artigo escrito pela professora Eliete MM Fagundes em celebração ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo (02 de abril)

RELATO DE CASO enviado no ano de 2017

“Sou aluna do curso e trato meu filho a algum tempo sob as orientações da linha homeopática que aprendemos. Gostaria de só dividir uma grande alegria que tive ontem quando resolvi dar novamente ao meu filho Avena sativa e Cérebro total que já tomou em início de tratamento a uns 3 anos.
E ontem mesmo, após algumas horas de dar o Avena Ch5, pois dei o Cérebro total Ch5 à noite, ele disse direitinho….. MAMÃE!!!!
E nunca havia pronunciado, visto que o grau de autismo é alto e ele nunca falou nada e está com 9 anos.
Ele ficou felicíssimo de conseguir pronunciar e hoje foi só o primeiro dia!!!
E a noite ele faz muito xixi, pois sua alimentação é líquida, e, ao invés de usar 3 a 4 fraldas, até o momento, só usou uma.
Estou muito feliz. Muito obrigada, profª Eliete!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.