Série miasmática: Tuberculinismo – parte 5

A VONTADE DE AJUDAR, A HIPERSENSIBILIDADE E O TUBERCULINISMO

As personalidades Tuberculínicas subdividem-se em vários grupos e temos um deles, que quando harmonizados, é constituído por indivíduos da Matéria Médica que possuem a maior capacidade de empatia que conhecemos até o momento. Isso ocorre porque são altamente sensíveis em todos os aspectos, com grau de percepção muito acima do que já é considerado além do normal, o que chamamos em homeopatia de hipersensíveis. Através da percepção ampliada e da capacidade de captar e interpretar vasto léxico de informações subliminares (normalmente inconscientes), acessam profundamente os sentimentos, as emoções, o mental e o espiritual das pessoas.
Dificilmente encontramos estas pessoas na área de ciências exatas e sim em maior número na área artística, da saúde, ambiental, sociológica e muito também nas terapias vibracionais que ajudam a integrar o homem na natureza como homeopatia, acupuntura, etc. São pessoas que dificilmente vemos causando danos aos demais por serem amorosos, solícitos e conscientes de seu verdadeiro papel no mundo, que é de trabalhar em prol do bem comum, da harmonização de nosso amado planeta. Sua capacidade de doação é realmente acima do que normalmente encontramos e com isso muitas vezes podem ser explorados por indivíduos sem escrúpulos que se aproveitam da condição destas personalidades. Para reconhecermos alguém, que tenho certeza todos têm pelo menos um na família, basta nos atentarmos para a sua disponibilidade em ajudar e graciosidade (isso quando dormiu bem, está feliz, na sua situação confortável, etc.).
Como são muito crédulos e possuem dificuldade em aceitar que todos não são como eles, acreditam de coração em ideias que correspondem aos seus anseios. Muitas vezes sem questionar e, desta forma, podem tornar-se meros joguetes ao invés de realmente fazer o papel de agentes de mudança social pelos seus próprios ideais. Isso acontece pelo fato de terem mente coletiva e assim ser mais fácil para a grande maioria deles, e mais cômodo também, do que se arriscar a não ser compreendido ou sofrer humilhação. Porém, podem fazer os dois papéis ao mesmo tempo, de participar de grupos que lhe ajudam a conferir identidade social e de ter seu caminho independente, transcrevendo sua própria história.
Outro ponto importante é a doação sem medidas, as possíveis consequências não passam pelo crivo da intelecção, o que o leva a praticar verdadeiros sacrifícios colocando em risco, muitas vezes, sua parca energia vital. O maior exemplo é a grande dificuldade de separar os sentimentos, a cognição e as emoções que seriam próprias daquelas selecionadas, copiadas e amplificadas dos seus pacientes, cônjuges, amigos, colegas ou familiares. Consegue facilmente conectar-se, porém o emocional/mental não usa de todos os atributos para selecionar as reações bioquímicas e com isso acaba passivamente sentindo a dor do outro.
Normalmente a facilidade em estabelecer relacionamentos afetivos ocorre com maior plenitude após a pessoa amadurecer emocionalmente, independentemente da idade. Consegue perceber que o amor e a doação equilibrada ao próximo geram mais completude que a busca pelo amor a um único indivíduo. E quando isso ocorre, naturalmente vence as barreiras de viver o amor mais pleno e menos egoísta, pois estará nutrindo as carências infindáveis da sua alma com o que consegue de benefícios para o coletivo. Assim torna-se efetivamente mais propício a atrair cônjuge com frequências mais semelhantes à sua e não com vibrações contrárias e que somente tardiamente seriam reconhecidas.
Precisa fortalecer a herança genética tuberculínica, harmonizar estas predisposições contraproducentes que geram sofrimentos pessoais infindáveis. Desta forma permitirá que todas as hipóteses, todas as possibilidades e todos os códigos da sua alma, com suas mensagens cifradas, sejam convertidos em benefícios construtivos. A manifestação plena da sua natureza humana sendo descoberta, conseguirá transmitir e influenciar positivamente seu próximo e assim realizará os anseios da alma em ajudar.

UMA ANALOGIA DO MIASMA COM AS BORBOLETAS

Anteos menippe
Hospedeiro: Cassia
siamea – flor amarela

Ascia monuste orseis
Hospedeiro: Senna e Mimosa

Heliconius erato phyllis
Hospedeiro: Passiflora off. (maracujá)

Junonia evarete
Hospedeiro: Stachytarpheta cayen (Gervão).

Nyctelius nyctelius
Hospedeiro: Carica papaya (mamão), cana de acúcar, etc.

Urbanus esta
família Hesperiidae – Hospedeiro – Desmodium unc. (pega-pega).

 

Chiomara asychis
– Hospedeiro – Malpighia glabra – (acerola)

HOMEOPATIA – Calcarea phosphorica D60

Professora Eliete M. M. Fagundes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *