Série miasmática: tuberculinismo – parte 2

A VALORIZAÇÃO DA ARTE E DA BELEZA E O TUBERCULINISMO

Por quê conseguimos identificar o Brasil e seu povo como possuindo maior grau de Tuberculinismo?

Um dos motivos é o quanto somos mais emocionais, sensíveis a abstração e as artes como um todo. De norte a sul temos extenso calendário estadual e municipal voltado aos mais diversos tipos de eventos. Fomos o primeiro país a exportar telenovelas, temos infindáveis peças de teatro em cartaz, desde as cidades pequenas aos grandes centros. Eu como exemplo de criança tuberculínica, tinha um grupo de teatro, saíamos a Baixinha (Marli), Nanana (Marlei), Vera e Vania a pedir aos vizinhos guarda-chuva estragados para fazermos capas e roupas. O Júlio montou arquibancada no pátio da casa com engradados, mas não tínhamos plateia, o que pouco importava.
Nosso futebol foi classificado como artístico, pois é diferente e temos os melhores jogadores, maiores estádios do mundo. Precisamos vibrar alegremente, sem falar que cada adolescente é potencial modelo ou jogador por serem em grande número e muito valorizados no restante do globo. E as festas? Será que existe povo mais festeiro e divertido? Não precisa nem de motivo, pois permite reunir quem gosta, só não são fãs de grosserias, por isso se afastam se machucados. Isso sem mencionar o carnaval, maior festa popular do mundo, maiores grafiteiros, a música maravilhosa. A pergunta é inversa: “Quem é que não teria um irmão, primo ou tio instrumentista ou cantor?” Se não tiver ainda é porque ele está esperando organizar o tempo ou aposentar-se!

Deus ao projetar e fazer o Brasil estava muito inspirado, temos a fauna e a flora com maior diversificação de espécies do mundo e isso significa flores maravilhosas, animais multicoloridos, exóticos, etc. E os minerais? Temos a maior gama de cristais coloridos do planeta, além da maior infinidade de tons de mármores e granitos. Entre a Praia do Cassino e os Molhes do Arroio Chuí, possuímos a maior praia do mundo, com 220 km e com este dado nem precisamos falar da beleza dos brasileiros. O Brasil é o maior exportador de artistas, transgêneros, modelos, jogadores, cantores, pintores, decoradores, etc., temos DJ na lista da britânica DJ Mag, etc. Nossa lista é imensa!
Aqui são feitos o maior número de cirurgias estéticas do mundo, por isso temos os melhores profissionais do ramo. Somos um dos maiores consumidores de cosméticos, cresceu mais que a economia do país e o chamado “Índice do Batom” justifica dizendo que o setor trabalha na elevação da autoestima, o que reflete exatamente a realidade do Tuberculinismo vigente em cada ser humano.

Naturalmente valorizamos demasiadamente a aparência, é um dos principais fatores que precisamos trabalhar enquanto indivíduos e enquanto nação, a valorização dos potenciais internos para nos projetarmos externamente. O miasma do Tuberculinismo nos impele a refletir que só conseguimos manter a beleza aparente quando internamente foi cultivada e valorizada com ações de cuidado do próprio Eu e da espiritualidade.
E nestes tempos que estamos vivendo onde devemos priorizar o fortalecimento da predisposição a contrair gripes, aqueles que estão investindo demasiadamente somente no seu aspecto visível podem ter mais chances de baixar a imunidade. Isso pode ocorrer, visto que a exposição a imensas cargas de cosméticos e perfumes diariamente podem funcionar como agentes tóxicos para o organismo, aproveite para fazer uma dieta detox, tomar sucos verdes, fazer exercícios, meditar, reavaliar-se, etc.
Portanto, evite tudo que for sobrecarregar seu sistema imune, permita-se a redescoberta em si desta necessidade de emocionar-se com a arte da natureza e da rememoração dos momentos belos da sua vida. Reconcilie-se com aqueles conflitos que internamente você sabe que lhe causam inquietação, ansiedade, tristeza e angústia, pois os relacionamentos emocionais são a base das manifestações deste miasma

Para chegar a ser espiritualmente como a borboleta, voando leve e harmoniosamente, um ser humano precisa se metaforsear constantemente, é a adaptação espiritual, mental, emocional, física, cultural, psicológica que leva ao amadurecimento e a superação. Primeiro estágio é o ovo, onde estas personalidades vivem muito tempo, sendo muitos inclusive, os filhos cangurus. Os tuberculínicos possuem estas características, muitos não saem cedo de casa onde tem o carinho, aconchego e conforto do lar que o protege. Tuberculinum fará limpeza no DNA que ajudará a desbloquear as heranças que travam a superação do medo de ser rejeitado, de se amar, se aceitar, de descobrir sua beleza interna e confiar que será vitorioso ao descobrir suas verdadeiras aptidões.

– HOMEOPATIA – Tuberculinum CH12 – 2 gotas em um gole de água, 2 vezes ao dia por 15 dias.


1 – Heliconius ethilla narcaea – borboleta muito delicada, maior grau de tuberculinismo em comparação com algumas outras especies. Percebi que fica bom tempo com as asas fechadas, não mostrando sua beleza.
As lagartas tem como hospedeiros os pés de Passiflora off. (maracujá).

2 – Eresia lansdorfi – as duas borboletas são da mesma família, porém espécies diferentes, com grande graciosidade nas cores tuberculinismo muito evidente. Hospedeiro: Ruellia brevifolia (pingo de sangue).


3 – Methona themisto – muito tuberculínica por ser transparente, leve, com graciosidade, porém mais fechada. O hospedeiro é Brunfelsia opeana (manacá), mas estava no pé de pitanga.

OBS: Absolutamente todas as borboletas aqui apresentadas foram fotografadas com o celular no jardim da minha residência, em Belo Horizonte. Nesta época do ano as flores de Cosmus sulphureus (flor amarela) abrem, o que as atrai. Cataloguei 32 tipos diferentes e mais uns 5 que não consegui pela velocidade do voo e pela minha baixa frequência de visitas ao jardim.

Professora Eliete M. M. Fagundes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *